A mais bela, a mais pura e a mais duradoura glória literária de prosa da blogosfera

.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Vandalismo Monumental



Não é nosso costume ligar ao que os partidos à esquerda do PS fazem. As diferenças ideológicas que nos separam são enormes e inviabilizam qualquer debate produtivo, pelo que os deixamos lá a existir, contentes uns com os outros. O PCP não passa de um anacronismo, entrincheirado numa ideologia falida e capaz de, para a defender, de justificar regimes como o cubano, o chinês ou mesmo o norte-coreano (convém não esquecer as palavras de Bernardino Soares).


Posto isto, vamos abrir uma excepção?


Talvez o leitor não saiba mas este seu humilde servidor é aluno da Universidade de Coimbra, antiquíssima instituição (desde 1290) que ocupa, num dos seus pólos, edifícios considerados monumentos nacionais e, mais, património da humanidade, segundo a UNESCO.
A escadaria monumental faz parte desse núcleo de edifícios, visitados diariamente por inúmeros turistas e que, mais do que isso, pertencem a todos nós, sendo já um domínio público definidor do nosso sentimento de Nação.
Foi portanto com grande tristeza que soubemos que num comício da CDU, apoiantes daquela coligação, vandalizaram aquele património da humanidade, pintando slogans políticos. Segundo a TSF, no patamar mais próximo do local onde a fez o comício de terça-feira está pintado o slogan «PS, PSD e CDS, 35 anos a afundar o país», ao passo que noutro local lê-se «Agora CDU».



O PCP gosta muito de organizar manifestações, mas lida muito mal com elas. Como é possível responder a estudantes, jovens, que pugnavam pelo património nacional que o PC esteve calado no tempo do Estado Novo? O que é que isto justifica e permite a degradação do que é de todos nós? E mesmo que sim, se o 25 de Abril justifica que o PCP possa vandalizar património nacional, não justifica, por maioria de razão, que os estudantes se possam contra-manifestar?
Nas palavras dos nossos colegas: CDU, agora limpa tu!

E só para que não haja dúvidas: nos termos do número 4 do artigo 66.º da Lei Eleitoral:" Não é permitida a afixação de cartazes nem a realização de inscrições ou pinturas murais em monumentos nacionais, nos edifícios religiosos, nos edifícios sede de órgãos de soberania, de regiões autónomas ou do poder local, nos sinais de trânsito ou placas de sinalização rodoviária, no interior de quaisquer repartições ou edifícios públicos ou franqueados ao público, incluindo os estabelecimentos comerciais”. Sr. Jerónimo, quid juris?

P.S. - O facto de, contra a regra, atacarmos o PCP nada tem que ver com a aproximação do 28 de Maio, ditosa data do início do fim da primeira república!

4 comentários:

Joana disse...

ora, cumpre colocar aqui algumas correcções:

1-http://www.unesco.pt/cgi-bin/cultura/temas/cul_tema.php?t=14

aceda-se à lista de património mundial. não vislumbro a universidade de coimbra

2-http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/results/?name=universidade+de+coimbra&situation=321895&catprot=&invtema=&type=&concelho=&records=10

relativamente a classificações a nível nacional, apenas encontramos o jardim botânico

3-temos, isso sim, os paços da universidade como património nacional

http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/results/?name=Pa%C3%A7os+da+Universidade&situation=321895&catprot=&invtema=&type=&concelho=&records=10

http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/70318/

4- ora, os Paços da Universidade NÃO incluem a monumental escadaria.

5- destarte, não me parece haver violação de património mundial nacional ou do diabo a quatro.

6-Quanto ao mais, pode sempre ser discutida a correcção da atitude, como seria discutido um mural, numa parede que constituísse propriedade pública ou privada. Mas não devemos tornar a discussão naquilo que não é, devendo nós pugnar pelo rigor no debate.

Lord Nelson disse...

Joana,

Antes de mais obrigado pelo comentário e pelo extenso trabalho de pesquisa que ele envolveu. Apraz-me ver que gostas de poluição política nas nossas cidades. P'ras proximas eleiçoes vou lá pintar uns grafittis do PSD pra ver a tua reacção ;)

Já a reacção (da cdu) à reacção, foi bastante reaccionária, n?

Quanto às objecções:

1. Não querendo maçar ninguém com promenores técnicos, certamente saberás que, por um lado a UC propos o conjunto dos seus edificios (também as escadas monumentais: http://aa.uc.pt/aaprj/candunesco/mapa.html) pra patrimonio da UNESCO e) o que dispensa as areas propostas uma protecçao igual as definitivas (http://whc.unesco.org/archive/convention-en.pdf).

Posto isto, apesar de não tecnicamente monumento nacional, vai dar ao mesmo:alínea f do artigo 14.º do DL 309/2009 já que está requerida pela camara municipal a inculsão das escadas como zona de protecção. Eis o motivo pelo qual a CM de Coimbra considera a gatafunhada ilegal.

Anyway,

Bora defender a poluição visual?

Joana Banana disse...

Nelson,

ora não tem de que, volte sempre, não custou nada, quem anda nisto das teses sobre património cultural está mesmo aqui ao lado.

não tendo acesso ao dossier de candidatura, e daquilo que pude ler na "tentative list" no site da unesco, apenas vejo os restantes edifícios que albergam as várias faculdades abrangidos. em lado nenhum se fala das escadas. mas não tendo conhecimento directo e pleno sobre esse aspecto, abstenho-me.

ora respondendo aquela hipótese de não ser este partido e serem os laranjas, devo dizer que é uma cor que favorece a concentração, dizem os especialistas. por isso subiria as escadas de propósito vezes sem conta antes de um exame qualquer que tivesse.

partidarices aparte, compreendo perfeitamente que se condene o uso de propaganda política desta forma, à margem das normas que regulam o assunto. não devemos é tentar justificar as posições com questões como "património naciona" ou "mundial". É simplesmente espaço público utilizado para se transmitir determinada ideia política e, talvez o mais grave aqui, partidarizada.

eu nem defendo a poluição visual não, mas às vezes há cada espécime que se me cruza no espaço visual, que eu nem sei como reagir. negativamente falando x)

Lord Nelson disse...

Lol percebo. Usei os termos por facilidade de expressão - isto é um blog não uma revista científica.

Mas aquilo é mais que espaço público, tem interesse histórico, diz mt a mts portugueses e foi proposto pra UNESCO. A minha fonte é este site da UC:

http://aa.uc.pt/aaprj/candunesco/mapa.html

skip intro,conheça a area candidata, núcleo do estado novo. Lá fala da escadaria monumental, obra de Duarte Pacheco, "com vista a vincar o sentido cenográfico do conjunto e a linha principal de toda a composição que ligaria a Praça D. Dinis ao Largo da Porta Férrea".