A mais bela, a mais pura e a mais duradoura glória literária de prosa da blogosfera

.

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

A leste alguma coisa de novo…


O New York Times, na sua edição on-line dá-nos a conhecer Vuc Jeremic, ministro dos negócios estrangeiros da República da Sérvia. Este ministro tem-se revelado como um forte entusiasta da aproximação dos Balcãs à União Europeia. Tal aproximação já é uma realidade e começa-se a falar num possível alargamento da U.E. aos Balcãs.
.
Parece que a única grande questão que pode impedir este alargamento é a questão kosovar. O reconhecimento da independência do auto-proclamado Estado do Kosovo não é uma hipótese a curto prazo, apesar de Portugal já o ter feito – e aqui andou mal o nosso ministério em não ponderar bem as implicações daquela secessão que não terá grande conformidade com os Princípios de Direito Internacional.
.
No entanto, com diplomacia, paciência e esperança se resolverá.
.
E resolvida julgo que nenhum obstáculo digno de nota se colocará ao movimento integracionista… o que nos coloca a seguinte questão: poderá a Turquia co-existir num espírito quase-federativo, com os Estados dos Balcãs? Aqueles mesmos povos que oprimiu desde o século XVI ao século XX?
.
E se não, deverão os Estados-membros optar por aquela? Com uma nação que pouco ou nada partilha em termos civilizacionais? Será que estamos preparados para ter as fronteiras da União em locais tão remotos como o Irão, o Iraque, a Síria?
.
Ou devemos optar por integrar os Estados Balcânicos mais próximos do nosso quadro civilizacional, com quem partilhamos um quadro de valores comum?
.
Este vosso servidor tem grandes dúvidas se valerá a pena… dúvidas essas, que desta forma partilha com o leitor…
.

Ж
.
Antes de terminar exerço o meu direito de resposta ao post do Dr. Carlos: nós confessamos não sermos bajuladores babosos do Sr. Obama. Porém, em nada nos custa traçar elogios ao sistema norte-americano… Este é um dos que mais se aproxima com o conceito liberal social ou neo-liberal que nós e os nossos perfilhamos.
.
Estranho é ver excelências como vossa excelência, oriundas da esquerda a traçar elogios àqueles que estavam no outro lado da cortina de ferro. Com efeito, a recente eleição de um senador republicano pelo Estado do Massachusetts mostra bem que no pais onde o Sr. Obama é presidente também não deverá haver muitos bajuladores… As suas reformas são de facto ousadas, mas ainda é cedo para fazer juízos sobre um mandato que ainda agora começou… Este vosso amigo está um pouco como o candidato Vital, a respeito do Dr. Durão Barroso (se não se lembra ou gosta de histórias engraçadas, carregue aqui).

2 comentários:

Street Fighting Man disse...

lord nelson:

a alemanha, durante o século 20, em duas das mais sangrentas guerras de que à memória tentou conquistar, dominar e esmagar uma boa parte das nações europeias do ocidente e não por isso que agora a gente não nos demos todos bem ;)
quanto ás diferenças civilizacionais, embora compreenda a apreensão, lá nos centros da europa eles já perceberam que os turcos têm bom corpo para trabalhar. e se para efeitos da euronews a Europa é tanto Portugal como a Geórgia, passando pela Turquia, porque não dar uma chance aos moços?

PS: abolida a pena de morte, e mais requisito menos requesito

Lord Nelson disse...

Obigado pelo teu comentário Street Fighting Man.

Compreendo o que queres dizer mas julgo que são situações bastante distintas... Até porque a União surgiu também - para além das obvias preocupações economicas - para evitar futuros conflitos europeus... E o agressor foi desmantelado e administrado pelos vencedores. E na Turquia há mundos e séculos de distância...

Mas enfim, querem a Turquia? Depois não digam que não vos avisei!
:)