A mais bela, a mais pura e a mais duradoura glória literária de prosa da blogosfera

.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Nationalismus

Minha gente, alerta geral! A União Europeia está a passar-se da cabeça, ou dos... (não vou dizer, mas apetece muito)! A par daqueles senhores que rapam o cabelo em nome de uma ideologia de direita extremista que espalhou a morte e o horror durante várias décadas, alguns dos mais influentes países europeus, ao que parece, não ficaram satisfeitos com a experiência e, vejam bem, querem mais.
Peter Trapp, especialista em política interna do governo dessa prezada senhora, Angela Merkle, sugeriu a imposição de requisitos de admissão aos imigrantes alemães que vão de simples testes de língua, provas de conhecimentos de ordem social e jurídica a, atente-se bem a isto, testes de inteligência. Aonde é que eu já vi isto?... Para se ser imigrante na Alemanha é necessário pertencer-se a um grupo de elite, o que deita por terra toda a mística da emigração. Apesar de hoje já ser comum a fuga de cérebros para o estrangeiro (é o que chamam aos indíviduos com mais habilitações), a emigração sempre se demarcou pela saída dos grupos das classes mais desfavorecidas, capazes para os trabalhos de peso, normalmente pior remunerado nos países de origem mas, ainda assim, um investimento de pouco volume para os países de destino. No entanto parece que falta inteligência na Alemanha e querem um bocadinho da estrangeira.
Para além da Alemanha, também o Reino Unido comunga do mesmo entendimento e considera relevante que se tenham em conta critérios apertados para a entrada de estrangeiros no país uma vez que, em demasia, a imigração pode tornar-se uma pressão para os serviços públicos (uma maçada). Isto é tudo muito bonito, mas a verdade é que agora que a bolha rebentou e a economia de todo o mundo está pela hora da morte já ninguém quer imigrantes, quando até há bem pouco tempo eles eram tão úteis para fazer crescer esses mesmos países que agora enxotam os pobrezinhos. Já não querem mão-de-obra barata é? Dá mais jeito gente que saiba fazer contas eu sei...
Esquecendo as razões politicamente correctas destes decisores politicos imbuídos de nacionalismo, o que se passou deve ter sido isto: (Jogo Alemanha - Inglaterra, Mundial 2010):

A.M. - Pfffff... (suspiro de aborrecimento).

D.C. - Que seca de jogo...

A.M. - E se brincássemos antes aos Fascistas antes que nos voltem a chamar lá para dentro?

D.C. - Yeah!!

E pronto, ambos decidiram nesse momento, tudo culpa de um Mundial pouco apelativo que está a decorrer, que ser nacionalista extremista e discriminar pessoas é bem mais giro e divertido.


1 comentário:

ummaisumigualaum disse...

se calhar a Orde dos Advogados serviu de influência. cheira-me. macaquinhos imitadores.