A mais bela, a mais pura e a mais duradoura glória literária de prosa da blogosfera

.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Auto-Promoção Republicana

Rebordosa



Fomos por um amigo informados do seguinte: em Rebordosa (Paredes) irá ser construído um mastro com a altura de 200 metros como forma de comemorar os 100 anos de repúblicas. E tal obra irá custar a módica quantia de um milhão de euros, isto é, duzentos mil contos dos antigos por uma bandeira!
.
N’ Opinador não queríamos acreditar que tal fosse verdade, mas de facto parece que é. O nosso país é pródigo em baboseiras, mas esta ultrapassa o nosso normal – que já é bastante ridículo, mesmo segundo os padrões congoleses.
.
Pois num país com mais de meio milhão de desempregados, onde o salário mínimo é inferior a €500, onde o Estado apresentou um défice em 2009 de 9,4% do PIB, que deve ao estrangeiro trezentos e setenta e sete mil milhões de euros, onde os salários são congelados, onde se tornaram insolventes, no ano de 2009, três mil duzentas e cinquenta e cinco empresas, onde há FOME, senhor leitor, onde quarenta mil idosos PASSAM FOME – vai ser construído um monumento bacoco, pindérico e inútil – isto independentemente da bandeira que for lá hasteada!
.
O que aqui foi dito pode ser verificado aqui, aqui, aqui e aqui.
.
N’ Opinador estamos possessos! Mas está tudo louco? A lógica em Portugal é da batata? Ninguém diz nada? Ninguém se revolta? Ninguém acha mal? Não há decência nem humildade? Mas o que se passa contigo, Portugal?
.
Independentemente de tudo o mais parece que a obra vai avançar… Aquela freguesia vai ganhar uma obra inestética que a vai descaracterizar; a tropa fandanga que nos governa vai lá assistir e a Nelly Furtado vai também dar um ar de sua graça – uma canadiana cantar o hino nacional português tem a sua graça, ou não tem? Tudo para comemorar os 100 anos de repúblicas: uma primeira que foi uma nódoa histórica que nem com benzina sairá, uma segunda que esta terceira derrubou mas comemora, e uma terceira que ninguém derruba mas que parece todos os dias cair mais um bocado…
.
Argumentar-se-á que tal obra pode divulgar o nome da terra onde será instalada: nós perguntamos, em jeito de base instrutória:
  • Primeiro: Paredes (com o devido respeito pelas suas gentes, pelo menos das que não se lembraram disto) é algum destino turístico?
  • Segundo: o amigo leitor iria viajar quilómetros para ver uma bandeira gigante?
  • Terceiro: numa freguesia com cerca de 10.000 habitantes?
.
Ficamos à espera que de milhares de turistas com bolsos a abarrotar de euros cheguem àquela terra para assim nos desmentirem! Por agora, a lógica manda dar tudo como não provado.
.
Na imundice da classe política que nos governa, onde chafurdam parasitas sugadores do capital público e que, todos os dias, fazem salpicar excrementos governativos para cima do comum dos cidadãos já ninguém parece ter a noção da realidade que os rodeia – já ninguém se insurge contra criações fecais como esta, nem ninguém pede a demissão da mente que evacuou tal ideia para o mundo.
.
À atenção do Tribunal de Contas: um milhão de euros a dividir por duzentos metros, dá cinco mil euros o metro…. Ora uma república destas não vale mil contos o metro! Há que investigar!
.
O nosso último comentário – que resume o nosso pensamento – resume-se em duas palavras: Haja vergonha!

1 comentário:

Olhar Distinto disse...

O que se passa com Portugal é que não tem moral e depois passa mal.